Preciso fazer uma terapia, preciso de ajuda já

No Comments
Terapeuta

Preciso fazer uma terapia, preciso de ajuda já – quem nunca passou por este momento atire a primeira pedra.

Reconhecer o momento da sua vida o qual você precisa de ajuda é precioso. Pois infelizmente, vivemos numa sociedade que reprime sentimentos.

Uma sociedade onde cuidar da dor da alma, as dúvidas, os problemas sentimentais, sociais, profissionais é algo secreto, banalizado muitas vezes.

Sei bem como é isto, pois ouço confissões dos meus clientes, vejo as maiores dificuldades que são onde e como começar, já que ninguém ao seu redor era fortemente acreditado para um desabafo.

A terapia é tão importante quanto o trabalho, é encontra-se no equilíbrio, desafogar todas as dores, os engasgos na vida. Acredite, fazer terapia é a busca certo de uma vida melhor e de mais força para o seu dia a dia.

Quando você chegar ao ponto de: preciso fazer uma terapia, respire fundo e vá.
Terapia

Liberdade, caminhos, reconstrução, apoio pelas terapias

Como dizem, só você sabe a dor e alegria de ser quem é, e eu quero junto com você, lhe provocar neste sentido, descobrir forças escondidas, aliviar dores, reconstruir o seu emocional.

Eu – Risaldo Amaral – uso técnicas as quais lhe darão total confiança e mais ainda segurança em seu processo de descoberta e cura emocional. Busco junto à vocês, respostas para as suas questões, que vão desde a sua infância ou algo bem atual. Você quem manda, é sua vida que estamos discutindo e criando o foco.

Aliás, numa terapia, você precisa ter foco e jamais desistir, e quando pensar em desistir, desista do desistir, crie armas internas e avance sempre.

Esqueça também todas as crendices ou comentários do que se falam sobre terapias, pois o que trabalho é algo nosso, que vai lidar com as soluções para a sua vida. Uma construção e reconstrução caso sejam necessários.

Acredito muito em você, e que você pode e deve sair desta tristeza, deste momento angustioso. Vamos lá, dê a volta por cima como falam e venha, estou lhe esperando.

Existe uma Cracolândia na sua empresa

No Comments

Por que as empresas devem olhar para questões de abuso de substâncias?

O fato de que algumas pessoas usarem substâncias como o álcool ou drogas ilícitas, ou que algumas pessoas usam drogas de prescrição não é novo.

São Paulo está vivendo um grande drama que é o da Cracolândia nas ruas, mas será que ela está presente apenas nas ruas…

Porém ,agora tomamos consciência do quanto o abuso de substâncias químicas está afetando o local de trabalho e como muitos locais de trabalho têm incentivado o uso de substâncias como o álcool ou drogas lícitas e ilícitas sem saberem como.

O aumento de trabalhadores em situação crítica e prejuízos dentro da empresa não permitem mais dissimulações e preconceitos ao ser abordado com este assunto.

 

Com o avanço tecnológico, muitos aspectos no local de trabalho hoje exigem do trabalhador grande concentração e reflexos precisos e rápidos.

Um desleixo nestes comportamentos tem causado acidentes graves e até fatais, e tem interferido na precisão e eficiência do trabalho.

De várias formas o abuso de substâncias químicas podem causar problemas no trabalho, entre elas podemos citar:

  1. Absenteísmo, doença e /ou produtividade reduzida;
  2. Preocupação com a obtenção e utilização de substâncias no ambiente de trabalho, interferindo na atenção e concentração;
  3. atividades ilegais no trabalho, incluindo a venda de drogas ilícitas a outros funcionários;
  4. efeitos psicológicos ou relacionados com o stress devidos ao abuso de substâncias por um membro da família, um amigo ou um colega de trabalho que afeta o desempenho profissional de outra pessoa.

Este texto tem duas finalidades principais: primeira é discutir questões que indicam como problemas de abuso de substâncias podem afetar o local de trabalho, possíveis custos para uma empresa e como uma empresa pode resolver tais problemas e a segunda é introduzir a RELISE como uma empresa atuante na área de dependência química, através de palestras voltadas para a consciência do trabalhador e através também de atendimento terapêutico individualizado.

As drogas mais comuns em algumas profissões

Segundo levantamento feito pelo Jornal Folha de São Paulo, de 13/03/2003 verificou-se a seguinte tendência:

Médicos e enfermeiros 
Especialmente anestesistas, cirurgiões e profissionais que trabalham em UTI tendem a consumir os chamados opiáceos, como a morfina e a dolatina. Após duas ou três vezes de uso, a pessoa pode tornar-se dependente

Caminhoneiros e motoristas de ônibus 
As anfetaminas são as mais utilizadas por esses profissionais. Como, muitas vezes, são obrigados a se manter acordados a madrugada toda, recorrem à droga. Mas o efeito cessa abruptamente e, de uma hora para a outra, o usuário pode dormir no volante, o que pode causar sérios acidentes.

Operadores da Bolsa de Valores, advogados, publicitários e jornalistas 
A pressão do tempo, o acúmulo de trabalho e a necessidade de produzir intensamente são razões que levam à escolha da cocaína, droga altamente estimulante, por parte desses profissionais; o álcool também é praxe, principalmente para relaxar após um dia todo de trabalho

Marinheiros, estivadores, operários da construção civil 
Não somente esses profissionais, como os demais que trabalham em espaços abertos encontram menos obstáculos para consumir maconha, cocaína, crack ou drogas injetáveis.

Jovens profissionais
Ecstasy, ácido e “poppers”: as drogas da moda são as que mais atraem o público jovem, que pode começar a semana de trabalho baqueado pelos abusos cometidos nas baladas de final de semana.

Álcool
Os efeitos físicos vão de sensação de moleza e cansaço e dificuldade para se concentrar a dor de cabeça e enjôo, entre outros. Além disso há desconforto também para quem trabalha ao lado. O álcool é responsável por grande parte dos acidentes de trabalho que acontecem após o almoço. Quem usa essa droga tende a ser inquieto, ansioso e, às vezes, agressivo quando quer beber e não pode. Os médicos alertam para o perigo da cultura do “happy hour”: recorrer à bebida para relaxar após o expediente pode levar à dependência. O álcool é ainda um dos grandes responsáveis pelo absenteísmo na segunda-feira: a pessoa bebe muito no final de semana e não consegue encarar o trabalho por causa da ressaca.

Cigarro
Aproximadamente a cada 30 minutos, o fumante começa a apresentar sintomas sutis de abstinência, como irritabilidade, inquietação, ansiedade e queda na concentração. É comum que ele conviva com esses sintomas o dia todo, livrando-se deles só ao acender um cigarro. Outra decorrência do vício é a queda na produtividade. A maioria das empresas hoje oferece os “fumódromos”, que protegem os não-fumantes. Contudo, toda vez que vai fumar, o funcionário perde pelo menos dez minutos de trabalho, sem contar o tempo que leva para voltar a se concentrar. Quem fuma também tende a sentir menos disposição e faltar mais ao trabalho por doença, em consequência da queda de resistência, por exemplo.

Maconha
Quando retoma suas atividades, quem usa maconha tende a ficar desatento, disperso e com dificuldade para realizar tarefas mais complexas ou para processar várias informações ao mesmo tempo. Esses efeitos podem acometer também o usuário de final de semana e ainda com mais intensidade quem consome um cigarro de maconha todo dia. Segundo os médicos, a capacidade de concentração fica comprometida durante dois ou três dias posteriores ao uso. Quem consome a droga três vezes por semana, pelo menos, pode apresentar menor motivação no dia-a-dia.

Cocaína
Em geral, usuários de cocaína tendem a ficar instáveis mentalmente, apresentando comportamento mais impulsivo e irritadiço. O consumo no trabalho pode deixar o usuário muito eufórico em uma reunião, agressivo em outra e, não raro, deprimido após o efeito do entorpecente.

Quais são os custos para uma empresa?

Os impactos econômicos do abuso de substâncias para empresas ou indústria têm sido tradicionalmente difíceis de medir.

Muitos custos são ocultos por absenteísmo geral ou doenças, falta de produtividade “despercebida”, incapacidade ou relutância em vincular o abuso de substâncias diretamente com causas de acidentes.

Em geral, estudo em países desenvolvidos como os EUA e o Canadá, o abuso de substâncias custa para a economia bilhões de dólares americanos. Esse valor inclui os custos do tabaco, álcool e drogas ilegais.

O estudos mostram que os maiores custos são para:

perdas de produtividade,

deficiência imunológica que afeta diretamente a saúde do trabalhador colaborador,

problemas com a polícia e outros tipos de aplicação da lei,

outros custos diretos.

Percebemos que os custos totais para uma empresa podem ser tanto diretamente quanto indiretamente associado ao problema da dependência química.

O que o local de trabalho pode fazer?

O trabalho pode ser um lugar importante para lidar com questões de abuso de substâncias.

Empregadores e funcionários podem colaborar para conceber políticas que delineiam o que é um código de comportamento aceitável e o que não é.

Ao estabelecer ou promover programas como um Programa de Assistência a Empregados (PAE), os empregadores podem ajudar os funcionários com problemas mais diretamente ou fornecer referências a serviços comunitários.

Os locais de trabalho são encorajados a estabelecer um procedimento ou política para que a ajuda possa ser fornecida de forma profissional e consistente, através de atendimentos terapêuticos, Palestras, etc.

É importante que os supervisores e gerentes tenham um recurso ou um procedimento em que possam confiar se surgir a necessidade.

Os funcionários precisam saber que todos serão tratados da mesma maneira.

Pré-planejamento, como para muitos outros problemas de saúde e segurança ocupacional, é a melhor maneira de evitar confusão e frustração em tempos que já são difíceis.

Além disso, os gerentes e supervisores devem ser educados de como reconhecer e lidar com questões de abuso de substâncias e aos funcionários devem ser oferecidos programas educacionais e assistências terapêuticas.

A fórmula do fracasso ou do sucesso está na disciplina

No Comments

O fracasso é o resultado acumulado de pensamentos pobres somado a pobres escolhas. O fracasso não é um evento simples e único. Nós não falhamos da noite para o dia. Para simplificar diremos que falhar é repetir pequenos erros todos os dias.

A fórmula do fracasso ou do sucesso está na disciplina, e na consciência que juntos podemos ir mais longe!

Risaldo Amaral – equilíbrio, força, reestruturação, esperança, amor, terapias

E o que leva as pessoas a cometerem tantos erros tolos e repeti-los todos os dias?  A resposta é que eles ou elas acham que pequenos erros não fazem diferença.

Para essas pessoas, nossos atos diários não são importantes, ou seja, uma pequena decisão ou uma hora gasta com coisas tolas geralmente não resultam em um impacto a ser considerado. Quase que nem percebemos que estamos cometendo algum desperdício de tempo ou cometendo pequenas ações erradas, pois não sofremos nenhuma consequência imediata desses pequenos erros.

Realmente não nos incomodamos se não lemos nenhum livro nos últimos noventa dias, esta necessidade de disciplina não parece ter nenhum impacto imediato sobre nossa vida.

Fazemos então o seguinte julgamento:  Uma vez que nada de drástico nos aconteceu nestes noventa dias, podemos repetir esse pequeno erro pelos próximos noventa dias e de novo e de novo, passamos então seis meses sem ler nem mesmo um único livro. E porque? Porque parece que esse erro é tão sem importância.

E aqui percebemos o grande perigo:  Muito pior que não ler livros é julgar que isso é algo sem importância.

Pessoas que comem alimentos inadequados em grande quantidade estão contribuindo para um futuro problema de saúde, mas a satisfação do momento aparece como uma nuvem a esconder o futuro.

E isto parece ser uma coisa sem importância. Aqueles que fumam muito ou bebem muito vão fazendo essas escolhas pobres anos após anos…

Porque julgam que essas ações parecem não ter qualquer importância.

Entretanto, a dor e o arrependimento desses pequenos erros de julgamento estão sendo repassados para um tempo futuro.

Raramente as conseqüências desses pequenos erros são imediatas, ao contrário, elas vão se acumulando lentamente até que chega o dia inevitável da contagem e então temos que pagar o preço pelas nossas pobres escolhas…Escolhas que pareciam não ter importância.

Quantos problemas em relacionamentos fracassados são conseqüências de pequenas faltas de comunicação diária que foram deixadas e julgadas sem importância para serem feitas todas de uma vez em um clima de densa emoção…

Quando as coisas são ditas todas de uma vez, encontrando um companheiro ou companheira fragilizado ou fragilizada para ouvir tantas reclamações ditas aos gritos.

O atributo mais perigoso do fracasso é a sutileza. Ou seja, aqueles pequenos erros não pareciam fazer nenhuma diferença, não percebemos que estamos falhando.

Na verdade, esses erros de julgamentos às vezes se acumulam durante um período de muita diversão e prosperidade em nossa vida.

Desde que nada de terrível aconteceu para nós, nenhuma conseqüência instantânea ocorreu para chamar nossa atenção, nós simplesmente vamos navegando de um dia para o outro, repetindo os erros, calando, pensando coisas bobas, dando ouvido para coisas tolas e fazendo escolhas erradas.

Como o céu não caiu sobre nossas cabeças até ontem, concluímos que esses atos são inofensivos.

Ora, desde que essas ações parecem não ter maiores conseqüências, provavelmente podemos repeti-las com segurança.

Mas… Se o fracasso é uma coisa negativa, se o fracasso vem acompanhado de grande depressão e contribui para a queda da nossa estima, precisamos ter uma educação melhor do que essa!

Se ao final do dia em que cometemos o nosso primeiro erro o céu caísse sobre nós, certamente que tomaríamos providencia para que nossos atos jamais se repetissem.

Como uma criança que coloca sua mão na chapa quente do fogão, apesar dos avisos de seus pais, nós deveríamos ter uma consequência imediata após um erro de julgamento.

É uma pena que o fracasso não grita seus conselhos em nossos ouvidos como nossos pais fizeram. Portanto, é imperativo refinar nossa filosofia de vida para que possamos fazer melhores escolhas.

Com uma poderosa filosofia pessoal a guiar nossos passos, ficamos mais alertas a respeito de nossos erros nos julgamentos de nossas ações e mais alertas em saber que cada erro cometido é relevante.

A grande notícia é que, tal como a fórmula do fracasso, a fórmula do sucesso é fácil de seguir: é uma disciplina simples praticada diariamente.

Surge então uma pergunta interessante: podemos mudar os erros cometidos durante a fórmula do fracasso para desenvolver uma nova disciplina necessária para obter sucesso?

A resposta está no futuro, isto é, faça do futuro um componente importante na sua atual filosofia de vida.

Sucesso e fracasso envolvem futuras conseqüências, a nos trazer recompensas ou arrependimento respectivamente.

Se o futuro é tão importante, porque tão poucas pessoas levam o futuro em consideração? A resposta é simples, as pessoas estão envolvidas demais com o aqui e agora e o futuro não lhes interessa…

As pessoas estão realmente hipnotizadas pelo efeito da televisão e da internet que semeiam constantemente as emoções de se ter prazer imediato, que o futuro passou a ser coisa de nerds.

Os problemas e as recompensas estão absorvendo de tal sorte o pensamento dos seres humanos que eles nunca param para refletir sobre o amanhã.

Precisamos  desenvolver uma nova disciplina que nos tome apenas alguns minutos diários mas que nos faça olhar um pouco além e assim mudar a trajetória de nossa estrada.

Com uma nova visão sobre a importância do futuro, podemos antever as conseqüências de nossa conduta diária.

Na posse dessa valiosa informação, somos capazes de tomar as ações necessárias para mudar esses pequenos erros em uma disciplina orientada para o sucesso.

Em outras palavras, adotando a disciplina de antecipar o futuro, somos capazes de mudar nossos pensamentos e julgamentos, remendar os erros e desenvolver novos hábitos no lugar dos antigos.

Uma das coisas mais excitantes na fórmula do sucesso – uma pequena e simples ação feita todos os dias- é que os resultados são quase imediatos.

Quando voluntariamente trocamos pequenos erros feitos diariamente para uma pequena disciplina diária, experimentamos resultados em um curto período de tempo.

Assim, quando mudamos alguns alimentos nocivos comidos diariamente, nossa saúde aumenta notadamente em poucas semanas.

Quando começamos a andar diariamente por trinta minutos, sentimos a vitalidade quase que imediatamente. Quando começamos a ler poucas páginas diariamente, experimentamos um despertar de consciência incrível acompanhado de um aumento na autoconfiança.

Os estudos  mostram que uma disciplina de três horas por dia de leitura forma juízes, mestres, doutores e qualquer pessoa em uma bem sucedida carreira que assim desejar.

Um CEO (Chief Executive Officer), uma pessoa que, sozinha, é responsável pelo desenvolvimento e liderança das grandes corporações, lê entre quatro a cinco livros no mês.

Você pode mudar a sua realidade se começar a ler uma hora por dia. As leituras acrescentam novas informações ao cérebro que, por ser um órgão pensante, vai somando suas experiências a essas novas informações trazidas pelas leituras com o passar do tempo e com mais informações chegando o cérebro vai-se desenvolvendo e criando grandes e diferentes possibilidades para a sua vida.

Tudo o que você tem hoje foi devido a boa ou a má utilização desse maravilhoso órgão pensante.

A grande mágica de adotar uma nova disciplina é que ela mudará nosso nível de pensamento e, conforme observou Einstein, a mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao que era antes.

Se começarmos hoje mesmo a ler livros, escrever um diário, assistir aulas, ouvir mais e observar mais, então hoje poderá ser o primeiro dia de uma nova vida que nos conduzirá a um futuro melhor.

Contatos: